terça-feira, 6 de setembro de 2011

Pastor Valdir: êqui calon nicadádo da viduncha turângue

Eu sou um cigano brasileiro, da etnia Calon. Nasci em 30 de dezembro de 1968 na cidade de Tatuí, SP. Converti-me ao Evangelho do Senhor Jesus em 2003 na cidade de Santa Fé do Sul, SP onde moro com minha família atualmente. Durante toda minha vida morei em barracas, viajando por diversas cidades brasileiras praticando o comércio ambulante. Como cigano já sofri muito com a discriminação e preconceito da sociedade. Eu era idólatra e vivia uma vida sem paz, sem amor e sem direção. Em 1998 fui evangelizado na cidade de Maringá, PR quando, acompanhado de meu sogro numa das entradas da cidade, recebemos a visita de um homem desconhecido. Ele estava bem vestido e parou o carro, desceu e pediu para orar conosco. No desenvolvimento dessa inesperada visita o homem anunciou o evangelho para nós e afirmou: “alguém aqui, um dia irá lembrar-se das palavras que eu estou dizendo, pois Deus tem uma obra para realizar nessa vida”. Anos mais tarde me lembrei disso quando tive um encontro com Cristo, num retiro da Igreja Assembléia de Deus – Ministério Paulínia em Santa Fé do Sul. Pela graça de Deus minha conversão foi impactante para meu povo que mora em minha cidade (cerca de 300 ciganos) e muitos dentre eles começaram a freqüentar a igreja, sendo que alguns também se converteram em foram batizados, especialmente meus familiares. Pela graça de Deus fui ordenado ao ministério pastoral em 25 de janeiro de 2010, na COMADESPE e CGADB (Assembléias de Deus) em Bauru, SP. Na igreja local, atualmente sou pastor titular, pregando, visitando e evangelizando. Sendo acompanhado em todo o tempo por líderes e principalmente pelo meu pastor, Pr. Artaxerxes Fernandes, logo tive contato com outros ministérios específicos que já evangelizam ciganos, podendo assim desenvolver mais a missão de evangelizar meu povo. Pela bondade de Deus, tenho também o privilégio de ser o atual representante da Rede Nacional de Apoio aos Ciganos (RENACI), um grupo de Calens e gajéns que se importam com nosso povo cigano. Toda minha família é de etnia cigana. Sou casado com Jeanete Apolinário e tenho cinco filhos: Dalvana, Magalona (casada), Hortência, Valber e Josué.

Um comentário:

  1. Queridos, meus sogros também eram ciganos e se converteram. Vocês teriam algum tipo de dicionário ou coisa parecida com o dialeto Calon para que pudessemos reaprender esta lingua. Se tiverem algum material enviem para meu e-mail:

    cyrobarretto@gmail.com

    ResponderExcluir